Falando em saúde

20 ago Asma

Respirar é tão importante para o funcionamento do nosso organismo que não conseguimos ficar mais do que alguns segundos sem inspirar. Certos fatores como variações de temperatura, ar seco e frio, fumaça de cigarro, inseticidas e poeiras comprometem a entrada e a saída de ar dos pulmões. Esse comprometimento pode desencadear a asma, que é o estreitamento dos pequenos canais de ar dos pulmões, os bronquíolos, que dificultam a passagem de ar provocando broncoespasmos.

Ao chegar nos pequenos brônquios, o agente irritante estimula a musculatura lisa, que os envolve e contrai-se para impedir a passagem. Ao mesmo tempo, células de defesa migram para o local visando neutralizar a agressão. Na asma, essa resposta é exagerada: células inflamatórias, mediadores químicos e anticorpos liberados localmente agridem o revestimento dos bronquíolos, alteram a função dos cílios que os revestem, aumentam a produção de muco e a reatividade dos músculos responsáveis pela contração brônquica.

Dificuldade de passagem de ar, chiado no peito, sensação de respiração “pesada” e tosse são alguns sintomas da asma. Ao apresentar qualquer um desses sintomas é necessário procurar um médico.

Fatores genéticos, alergias a substâncias inaladas, refluxos e a exposição continuada a fatores ambientais podem desencadear a doença. Ela acomete pessoas de qualquer idade e não possui cura. O tratamento é prolongado, mas se feitos logo no começo das crises asmáticas, garantem bons resultados e o controle dos sintomas. Segundo o pneumologista Blancard Torres a doença merece atenção: “A asma vem aumentando em quantidade e em número de mortalidade porque, se ela não é tratada do começo, agrava-se e pode matar”, afirma o médico.