Falando em saúde

22 nov Bruxismo

Caracterizado pelo hábito de encostar, ranger, comprimir ou apertar dos dentes, o bruxismo é uma disfunção funcional ligada a fatores genéticos, estresse, apneia do sono, tensão, ansiedade ou problemas físicos de oclusão ou fechamento de boca inadequado. Não é um transtorno perigoso, entretanto pode causar danos permanentes aos dentes. Hoje considera-se ser classificada só no período em que ocorre: durante o sono (bruxismo do sono) ou acordado (vigília).

O bruxismo, quando ocorre no período em que o paciente está acordado (vigília), é considerado um hábito prejudicial ou deletério, como roer de unhas ou morder a tampa de uma caneta. O paciente fica por longos períodos encostando os dentes, isso ocorre principalmente em momentos de estresse ou até mesmo num momento de maior concentração em alguma atividade como estudar e usar computador. Neste caso, a musculatura mantem-se na mesma posição por muito tempo, o que pode estar relacionado às dores musculares. "O bruxismo em vigília pode também aparecer como efeito colateral de algumas medicações, como as usadas em tratamento da ansiedade; mal de Parkinson e problemas motores" afirma o cirurgião dentista Antônio Carlos Moura. 

O bruxismo, que ocorre durante a noite, é considerado um distúrbio de movimento relacionado ao sono. Neste caso, é mais comum o ranger de dentes nas fases de sono mais leves, não ocorre durante a noite toda, vem em crises. Normalmente é identificada, quando outra pessoa narra o que presenciou durante a noite, ou quando o paciente procura assistência odontológica.

O bruxismo do sono pode ser de dois tipos: O chamado primário, não está relacionado a nenhuma outra alteração. Estuda-se estar relacionado a neurotransmissores no cérebro e pode ser hereditário, mais ainda, está sendo pesquisado o porquê de sua ocorrência; o Secundário pode estar relacionados a medicações como fluoxetina, por exemplo, ao mal de Parkinson, a distúrbios respiratórios como o ronco, apneia. Os fatores emocionais podem aumentar a frequência do Bruxismo do sono, mas não são a causa.

Ainda não se conhece uma maneira eficaz de curar o Bruxismo. "Os tratamentos atuais ajudam no controle da doença e visam reduzir a dor, evitar danos permanentes aos dentes e reduzir o ranger deles ao máximo. Eles vão desde dispositivos de acrílico móveis instalados na boca, medicamentos, toxina botulínica e até aplicativos de celular que ajudam no controle dos episódios. O ideal é procurar um cirurgião dentista especializado, para que diagnosticar o melhor tratamento para cada caso" conclui Antônio Moura.