Falando em saúde

08 fev Cuidados com o fígado no carnaval

Com a chegada do Carnaval, a maioria dos foliões só pensam em diversão e, por vezes, esquecem dos riscos que a brincadeira em excesso pode acarretar à saúde do fígado. O consumo de bebidas alcoólicas, a ingestão de alimentos mal preparados, o sexo sem prevenção, tudo isto pode trazer danos irreparáveis ao órgão que, segundo o hepatologista Fábio Marinho, “sofre calado” e quando surgem os problemas com sintomas, normalmente, se trata de algo mais grave. É preciso redobrar os cuidados e seguir as orientações médicas para evitar doenças hepáticas e curtir o Carnaval esbanjando saúde.

Mononucleose ou doença do beijo - Se dá através do contato com a saliva do indivíduo infectado. É uma doença que pertence ao grupo do vírus do herpes, caracterizado por ser latente e crônico, porém sem riscos letais. É comum surgir em adolescentes ou adultos jovens, provocando febre, calafrio, fastio, fadiga e mal-estar.

Hepatite A - É transmitida através da ingestão de bebidas e alimentos contaminados, como frutos do mar e mariscos crus, ou por meio de contato com uma pessoa infectada com higiene precária.

Hepatite B - É considerada uma Doença Sexualmente Transmissível. Os sintomas são: Urina escura, fezes claras, icterícia (cor amarelada na pele). A doença não tem cura e pode evoluir para um quadro de cirrose ou de câncer no fígado.

Hepatite C – É transmitida através de sangue contaminado, geralmente, os riscos estão no contato com seringas de usuários de drogas. A doença é assintomática, o portador só percebe que está doente anos após a infecção, quando apresenta um caso grave de hepatite crônica. Pode ser diagnosticada durante exames de rotina ou durante a investigação de outras doenças.

Hepatite alcoólica - Trata-se de uma inflamação no fígado devido à elevada ingestão de bebidas etílicas durante um longo período de tempo, com sintomas que vão de febre, náuseas e perda do apetite a dores e inchaço no abdômen.

Dicas:

• Vacinar-se contra as hepatites virais;
• Ingerir pouca bebida alcoólica para evitar a ressaca;
• Hidratar-se com água, inclusive, durante o consumo de bebidas alcoólicas;
• Cuidado com alimentos crus ou mal cozidos;
• Fazer sexo seguro;
• Prefira bebidas fermentadas (vinho, cerveja, cidra), pois contêm menos álcool que as destiladas (uísque, pinga, vodka).