Falando em saúde

17 jul Gastrite

Gastrite é uma inflamação no tecido que reveste as paredes do estômago. Os motivos para o aparecimento da doença podem ser vários, principalmente, quando há má alimentação acompanhada de estresse.
 “Com o stress do mundo moderno, associado a má alimentação, os casos de gastrite aumentaram. Vale salientar que, algumas vezes, o paciente apresenta sintomas como epigastralgia (dor na boca do estômago) empachamento, queimação, saciedade precoce, náuseas e sensação de distensão abdominal, sem  apresentar gastrite em exames endoscópicos. Nestes casos, estamos diante de um quadro chamado Dispepsia, que afeta cerca de 15 a 40% da população adulta dos países ocidentais , e muitas vezes já tachado como gastrite pelo paciente”, afirma o gastroenterologista Sérgio Holanda, da Real Instituto de Gastrohepatologia.
 
 A gastrite aguda trata-se de uma inflamação passageira, geralmente causada por estresse físico ou psíquico, uso de medicamentos que contêm ácido acetilsalicílico, corticóides e alguns anti-inflamatórios, ingestão de substâncias ácidas e bebida alcoólica.
 
A gastrite crônica é habitualmente causada pela bactéria Helicobacter pylori. A bactéria vive muito bem em ambientes ácidos, como é o caso do estômago, e pode destruir a mucosa que reveste e protege a parede do órgão, causando a inflamação.
 
A dor da gastrite pode vir acompanhada de azia ou queimação. Perda de apetite, náuseas e vômito também são os sintomas mais comuns desta patologia.
 
Os tratamentos para a inflamação são, geralmente, à base de medicamentos que tratam a acidez do estômago e têm o objetivo de reduzir os sintomas e promover a cicatrização da mucosa. Os medicamentos prescritos, usualmente , são Inibidores da Bomba de Prótons (Omeprazol, Lansoprazol Pantoprazol, Esomeprazol e Rabeprazol ) para os casos de gastrite aguda e crônica.Devemos lembrar que , na presença  do Helicobacter Pylori,o tratamento com antibióticos apropriados, também se faz necessário.
 
Apostar na qualidade de vida e tentar evitar o estresse é, sem dúvida, uma boa forma para prevenir e tratar a doença. “Boa alimentação, hábitos de vida saudável, com prática de esportes e o uso de anti-inflamatórios sob orientação médica e de forma racional, podem evitar os casos de gastrite”, explica Sérgio.
 
DICAS:
·         Respeite os horários das refeições. Separar algum tempo para café da manhã, almoço e jantar tranquilos não é luxo, é necessidade
·         Não fume
·         Não fique em jejum por mais de 3 horas seguidas
·         Evite tomar analgésicos, café, bebidas alcoólicas e as que contêm cafeína
·         Controle a sua ansiedade
·         Alimentos quentes devem ser evitados
·         Deixe as gorduras "ruins" longe do prato. Excesso de gorduras aumenta a produção de ácido clorídrico no estômago (já que "dá mais trabalho" para a digestão acontecer). Evite frituras, leites e derivados integrais, carnes gordas, maionese, doces gordurosos etc;
·        Prefira fazer pequenas refeições ao longo do dia a fazer uma grande refeição
 
*Serviço - Real Instituto de Gastrohepatologia - 3416-1096