Falando em saúde

28 mai Glaucoma

O glaucoma é uma doença ocular causada principalmente pela elevação da pressão intraocular, que causa lesões no nervo óptico, e pode levar ao comprometimento visual. O problema atinge as pessoas em todas as fases da vida, sendo mais frequente após os 40 anos de idade. Não há como prevenir a doença, pois existem vários fatores de risco, como a pressão intra-ocular elevada, ter histórico familiar de glaucoma, ser da raça negra, alta miopia, diabetes e idade avançada que podem levar à doença.

Segundo a oftalmologista Fabiana Mahon, só é possível identificar o glaucoma indo ao médico. “A doença nas fases iniciais, só pode ser identificada pelo oftalmologista, através do exame de fundo de olho e pressão intra-ocular, onde é levantada uma suspeita de glaucoma. Esses dados são adicionados a outros exames complementares e fatores de risco, podendo assim, o médico dar o diagnóstico de glaucoma e iniciar o tratamento”, explicou.

Inicialmente o glaucoma não apresenta sintomas. Quando não tratada, a doença evolui com perda do campo de visão e a pessoa percebe que imagens e movimentos realizados mais perifericamente não são percebidos. Com o avançar da doença, a visão pode tornar-se tubular e até ocasionar cegueira completa. O tratamento é realizado sempre que possível com colírios para redução da pressão intra-ocular. “Nos casos em que apenas os colírios não são suficientes, pode ser indicada uma trabeculoplastia a laser ou uma trabeculectomia cirúrgica”, completou a oftalmologista.

É importante consultar com regularidade o oftalmologista, principalmente a partir dos 35 anos. O diagnóstico precoce do glaucoma é fundamental para o controle da doença e é de grande relevância para a eficácia do tratamento não se descuidar. Muitas pessoas deixam de seguir as recomendações do médico pela ausência de sintomas e esse descuido pode ocasionar graves consequências. “A melhor prevenção é o acompanhamento oftalmológico anual, principalmente se houver algum dos fatores de risco”, finalizou Fabiana.