Falando em saúde

24 mai Olho Seco

 

     Para que possam trabalhar de forma adequada, os olhos precisam de lágrimas para estar constantemente hidratados. A lágrima, um líquido produzido pelas glândulas lacrimais, é composta por água, sais minerais, proteínas e gorduras, tem como função lubrificar, nutrir e proteger as estruturas oculares externas das agressões causadas por substâncias estranhas ou micro-organismos. Quando alterada, em quantidade ou qualidade, deixa de funcionar corretamente causando falta de hidratação nos olhos.

     Mudanças ambientais e estilo de vida têm sido fatores importantes no aumento da incidência do olho seco. O uso excessivo de computadores, poluição ambiental, exposição a ventos, calor excessivo, clima seco tendem a reduzir o número de vezes que piscamos. Além disso, ambientes com ar condicionado podem aumentar a evaporação da lágrima. As pessoas que choram muito podem ter o olho seco. “Quem tem muitas lágrimas ao chorar pode sim ter olho seco, do tipo evaporativo, quando a qualidade da lágrima é ineficiente, e evapora muito rápido”, afirma Mahon.  Há casos também que o olho seco é sintoma de problemas oculares como blefarite, meibomite, doenças conjuntivais e uso de medição.

     As consequências da falta de lubrificação são: secura; ardor nos olhos; coceira; irritação; olhos vermelhos; vista turva, que melhora após o piscar; sensação de corpo estranho ou areia nos olhos; desconforto ao ler, ver televisão ou trabalhar em frente à tela do computador durante muito tempo. Para prevenir a oftalmologista Fabiana Mahon orienta “Sempre fazer a higiene das pálpebras com sabonete neutro, evitar passar longas horas no computador e em locais com muito vento ou ar condicionado”.

      “O tratamento deve ser feito a partir do diagnóstico correto e do tipo de problema que ocasiona o olho seco. Podem ser utilizados vários tipos de lágrimas artificiais, de acordo com o caso de cada paciente. Também podem ser utilizados gel lubrificante, antibióticos e até uma cirurgia para oclusão dos pontos lacrimais (por onde a lágrima escoa) ”, conclui.