Falando em saúde

09 mai Osteoporose

A osteoporose é caracterizada pelo comprometimento da resistência óssea, resultado de uma descalcificação progressiva dos ossos, predispondo-se a um aumento do risco de fraturas.

As lesões ocorrem, geralmente, na coluna vertebral, porém são as fraturas não vertebrais incidentes no quadril e no colo do fêmur os casos mais graves da doença. Segundo o ortopedista Ivo Melo, as fraturas não vertebrais correspondem a 82% do total de lesões com diagnóstico clínico, pois as vertebrais são sub-diagnosticadas. “De 30 a 40% destes pacientes morrem no primeiro ano por complicações posteriores às fraturas”, alerta o médico.

As causas mais comuns estão ligadas ao desgaste ósseo pelo avanço etário, hereditariedade e sedentarismo. Nas mulheres, há uma maior predisposição à doença, por haver distúrbios hormonais, principalmente no período da pós-menopausa, onde a queda de produção de estrógeno e o baixo índice de massa corpórea ajudam a desenvolver a osteoporose.

Os sintomas são silenciosos. O primeiro sinal pode acontecer quando a doença está em fase mais avançada, acarretando uma fratura espontânea de um osso poroso, a ponto de não suportar qualquer esforço, por menor que ele seja.

 A osteoporose, quando descoberta precocemente, tem probabilidade de cura. O tratamento é feito com reposições hormonais e outros procedimentos medicamentosos a depender da avaliação do especialista.

DICAS:
• Aumente o consumo de cálcio (leite e derivados) e vitamina D (banhos solares)
•  Após os 45 anos, faça o exame de densitometria óssea
• Evite carne vermelha, refrigerante, café e sal
• Use sapatos com sola anti-deslizante