• Prevenção do Câncer de Mama: “Tenha um Mastologista para chamar de seu”

    O Câncer de Mama é uma doença de causas multifatoriais e deste modo não há como evitar a doença. Entretanto o acompanhamento periódico da saúde mamária das mulheres permite não só o diagnóstico precoce do câncer como a realização de tratamentos menos agressivos.

    Algumas medidas podem amenizar os fatores de risco ao fortalecer o sistema imunitário das pacientes: cuidado com a saúde mental, dietas adequadas com produtos orgânicos, menis conservantes e sem BPA, que são substâncias carcinogênicas contidas dentro dos plásticos. É importante , também, reLizar exercícios físicos, que ajudam no cuidado com a saúde física e mental.Nada disso previne o câncer mas fortalece a imunidade.

    Para que o diagnóstico precoce aconteça é de extrema importância ter o acompanhamento de um mastologista. Esta é a especialidade que coordena os esforços de combate ao câncer de mama desde o diagnóstico até o tratamento.

    No acompanhamento, o mastologista examina as pacientes e solicita os exames de rastreio: mamografia, ultrassonografia mamária ressonância nuclear magnética, quando há indicação para tal. A relação médico paciente que se estabelece com o acompanhamento é de extrema importância para o sucesso de tratamentos futuros de doenças mamárias, especialmente do câncer de mama!

    “Muitas vezes o câncer de mama aparece quando a pessoa passou por momentos de muito estresse, o que baixa a sua imunidade e favorece as doenças. Então quando se tem um mastologista para chamar de seu, a paciente conta com a parceria do especialista escolhido ,que por sua vez entende como funciona o seu emocional e consegue conduzir o tratamento minimizando os danos emocionais, diz a mastologista do Realmama , Dra Isabel Cristina Pereira.

    “A campanha do Outubro Rosa é importante para chamar a atenção da população em geral ,e mostrar que o câncer de mama tem solução se detectado no começo. Mas que nada disso se consegue se as mulheres não se conscientizarem da sua responsabilidade em procurar os especialistas.

    O Real Hospital Português conta com o Real Mama há 32 anos. O Centro especializado na saúde mamária atua no acompanhamento periódico das mulheres ,promovendo diagnósticos e tratamentos cirúrgicos, bem como encaminhando aos tratamentos complementares como quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia, reconstrução mamária, fisioterapia, acompanhamento psicológico! Cabe ao mastologista ser o “maestro” do tratamento e da condução da paciente! Está nas suas mãos, a chance de um diagnóstico precoce! “Procure um mastologista para chamar de seu”

  • O que é?

    O câncer de mama é uma doença resultante da multiplicação de células anormais da mama, com alto potencial de disseminação pelo corpo. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns são desenvolvidos rapidamente e outros crescem mais lentamente. A maioria dos casos tem boa resposta ao tratamento, principalmente quando diagnosticado e tratado na fase inicial.

  • O câncer de mama é comum?

    Sim. Depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama é a neoplasia maligna mais frequente entre as mulheres do mundo todo. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) a estimativa do número de novos casos em 2020 é de 66.280. A doença também acomete homens, mas isso é raro: representa apenas 1% do total de casos.

  • Quais são as causas do câncer de mama?

    Não existe uma causa única, são diversos os fatores que aumentam a predisposição à doença. Um dos principais fatores de risco é a idade, já que 4 em cada 5 casos ocorrem após os 50 anos. Mesmo assim, todas as mulheres devem estar atentas a alterações nas mamas, como caroços (nódulos) fixos e endurecidos, alterações nos mamilos, pele avermelhada ou parecida com casca de laranja e saída espontânea de líquido sanguinolento ou transparente pelo mamilo.

  • Quais os principais fatores de risco?

    Para além da idade, alguns fatores de risco devem ser observados: obesidade e sobrepeso; sedentarismo; consumo de bebidas alcoólicas; primeira menstruação antes dos 12 anos; não ter tido filhos; primeira gravidez após os 30 anos; parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos; e ter feito reposição hormonal pós menopausa.

    Fatores genéticos e hereditários também são relevantes, como história familiar de câncer de ovário; casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos; história familiar de câncer de mama em homens; alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2. Vale ressaltar que a presença de um ou mais desses fatores de risco não significa que a mulher, necessariamente, terá a doença.

  • Como reduzir o risco de câncer de mama?

    Alguns dos fatores de risco são modificáveis. A adoção de hábitos saudáveis pode reduzir o risco de câncer de mama.

    Manter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos regularmente como forma de controlar o peso corporal e evitar a obesidade são maneiras de cuidar da saúde e prevenir vários tipos de câncer. Evitar o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, o uso de hormônios sintéticos e terapias de reposição hormonal, sem orientação médica. A amamentação é considerada um fator protetor.

  • Quais são os principais sinais de alerta?
    • Nódulo ou caroço fixo e geralmente indolor: está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
    • Pele da mama avermelhada, retraída ou com aspecto de casca de laranja;
    • Alterações no mamilo;
    • Pequenos nódulos nas axilas;
    • Saída espontânea de líquido pelos mamilos.

     

    Os sinais podem variar e devem sempre ser investigados por um mastologista para um correto diagnóstico e definição do tratamento. O mais importante é realizar suas consultas de forma regular, realizar os exames e seguir as orientações do seu médico.

  • Como posso perceber essas mudanças?

    Mulheres de todas as idades devem observar e conhecer seu corpo para perceber qualquer alteração nas mamas. Não há técnica específica, experimente no dia a dia reconhecer através do toque e do olhar as variações naturais e as alterações suspeitas.

    Mesmo que não se perceba nenhuma alteração no autoexame, é necessário realizar consultas regularmente com especialistas. Alterações não perceptíveis podem ser identificadas no exame clínico pelo seu médico.

  • Como é realizado o diagnóstico?

    A detecção precoce aumenta a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com melhores taxas de sucesso.

    A mamografia de rastreamento (exame feito quando não há sinais ou sintomas suspeitos) fica a critério do médico assistente, começando usualmente aos 40 anos de idade, mas pode iniciar em idades mais precoces. Com o exame é possível visualizar alterações suspeitas.

    Para mulheres com história familiar de pelo menos um parente de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) com diagnóstico de câncer de mama, abaixo dos 40 anos de idade, ou caso de câncer de mama masculino na família, recomenda-se mamografia anual e ressonância magnética a partir dos 30 anos de idade.

    A mamografia e o exame clínico identificam as alterações, mas para a confirmação é necessária a realização de biópsia por um laboratório especializado. Essa análise é realizada por meio de uma pequena amostra retirada da lesão na mama.

  • Sobre o tratamento

    O tratamento é definido por uma equipe multidisciplinar comumente composta pelo mastologista, oncologista, clínico, radioterapeuta e cirurgião plástico. A decisão do tratamento deve ser individualizada e é levado em consideração, dentre outros fatores, o tipo do câncer, o estágio da doença e as condições clínicas do paciente.

    Os possíveis tratamentos incluem a ressecção do câncer com cirurgia (parcial ou retirada total da mama), alguns casos essa cirurgia é precedida ou seguida de quimioterapia ou hormonioterapia. Outros tratamentos complementares incluem radioterapia, terapia alvo, entre outros.

    É importante reforçar que cada caso é único e a paciente precisa ser avaliada individualmente.

    A detecção precoce é a principal arma para se solucionar o problema e permitir que as mulheres redimensionem suas vidas, livres da doença!